"Apontaram-me a pistola à cabeça e obrigaram-me a dar tudo". Ainda bastante abalado, o funcionário do posto de abastecimento da Tojeda, em Avidos, Vila Nova de Famalicão, contou ao CM os momentos de terror que viveu, anteontem à noite, quando dois encapuzados, armados com uma pistola e uma navalha, o obrigaram a entregar todo o dinheiro da caixa. Os dois homens, com cerca de 20 anos, fugiram a pé. A GNR foi ao local, mas a investigação está a cargo da Polícia Judiciária do Porto.

O assalto aconteceu anteontem, cerca das 20h30, numa altura em que o posto RSTAR, na Zona Industrial de Tojeda, em Avidos, Vila Nova de Famalicão, estava deserto.

O funcionário, que se encontrava sozinho a ver televisão, foi surpreendido por dois homens, com cerca de 20 anos, que entraram com o rosto tapado pelos capuzes dos casacos e, com as armas apontadas, lhe exigiram o dinheiro. "Foram minutos terríveis. Não é fácil estar aqui com uma arma apontada à cabeça. Pensei mesmo que me matavam", confessou o funcionário, ainda muito abalado com o caso.

Assim que conseguiram chegar ao dinheiro, cujo valor o funcionário não soube precisar, os dois puseram-se em fuga, a pé, em direcção à Estrada Nacional 204, que liga Vila Nova de Famalicão a Santo Tirso, onde as autoridades acreditam que um terceiro elemento os aguardava num carro.

O posto de abastecimento não está equipado com sistema de videovigilância. Ao fecho desta edição não tinham sido presos.

cm