Sofia Laura Sousa, advogada madeirense de 36 anos, detida em Maio, pela PSP de Braga, depois de uma série de roubos armados a lojas de compra e venda de ouro, voltou ontem ao Tribunal de Braga onde, com o ex-namorado Bruno Moura, 29 anos, começou a ser julgada por três crimes de roubo.



Tal como tinha acontecido no primeiro julgamento, a 19 de Setembro, ontem o casal confessou integralmente a autoria dos roubos e mostrou-se arrependido. Depois de ouvir os arguidos, o colectivo dispensou todas as testemunhas e marcou a leitura do acórdão para a próxima semana.

A advogada madeirense, que confessou ter roubado para manter o vício da droga, foi condenada noutro processo de assaltos, em Setembro, a três anos e três meses de pena suspensa. Ao então namorado, que está em prisão preventiva, foi-lhe aplicada uma pena de três anos e meio. Na semana passada, Bruno foi de novo condenado a três anos e meio, por um roubo à mão armada que praticou sozinho.

Sofia Sousa, que trabalhou como jurista nos Bombeiros do Funchal, participou em pelo menos cinco roubos a lojas de ouro, onde entrava como falsa cliente. Depois, com uma faca, o namorado ameaçava as vítimas que sequestrava na casa de banho.

cm