As agressões de utentes contra médicos e enfermeiros nas Urgências estão a aumentar, revelou o chefe do posto da PSP no Hospital Amadora -Sintra, Luís Martins. Para os sindicatos destes profissionais, a escalada da violência deve-se à degradação das condições de vida.



"Já há muito que alertámos para as consequências que o agravamento da situação social iria ter na forma como os utentes e os acompanhantes tratam os enfermeiros e agora temos essa confirmação", declarou Guadalupe Simões, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

Cerca de 15 casos de polícia chegam, em média, por dia às Urgências do Amadora-Sintra. Só nos primeiros seis meses deste ano, um terço dos casos dizia respeito a agressões.

cm