O homem que na noite de sábado alvejou com disparos de caçadeira quatro militares da GNR, em São Miguel d’Acha, Idanha-a-Nova, poderá vir a ser acusado de quatro crimes de homicídio na forma tentada.



Tomé Furtado, de 65 anos, ex--emigrante em França, que foi buscar a arma quando foi intimado a fazer o teste do álcool, vai ser hoje presente ao juiz do Tribunal de Idanha-a-Nova e conhecer as medidas de coacção.

Ontem, a Associação dos Profissionais da Guarda exigiu "medidas urgentes" ao Governo lamentando que "a actual moldura penal não permita uma actuação célere que tenha um efeito dissuasor da prática de crimes contra agentes da autoridade". Dois dos militares baleados ainda estão hospitalizados.

cm