As prostitutas de Zurique vão trabalhar a partir de Agosto de 2013 numa espécie de ‘drive-in’ de sexo, um conceito que pretende eliminar a prostituição de rua no centro da cidade, bem como proteger e controlar estas profissionais.



A medida divulgada esta segunda-feira pelas autoridades da cidade suíça, que informaram que a revisão da lei sobre a prostituição, ratificada pelos habitantes de Zurique num referendo em Março passado, vai entrar em vigor oficialmente no início de 2013.

No entanto, o novo espaço, que será localizado na zona industrial, na periferia da cidade, só estará em funcionamento em Agosto de 2013.

As autoridades municipais vão construir uma avenida onde as prostitutas e os clientes, e respectivos carros, podem circular livremente. No espaço, que estará aberto entre as 19h00 e as 03h00, vão ser colocadas uma espécie de garagens onde as profissionais poderão exercer as actividades sexuais.

Estas cabines vão estar equipadas com casas de banho e duches, bem como com um sistema de alarme que será accionado se a prostituta se sentir ameaçada.

As mulheres, que têm de ser maiores de 18 anos e deter uma autorização especial das entidades municipais, vão contar com a assistência permanente de um médico ginecologista e apoio psicológico. O espaço será vigiado pela polícia municipal.

Em Março deste ano, os habitantes de Zurique apoiaram, em referendo, a criação destes locais com 46.545 votos a favor, o que representou uma maioria de 52,6%. A taxa de participação no referendo rondou os 41,8%.

Um dos objectivos da iniciativa, que é encarada de forma positiva pelas profissionais do sexo, nomeadamente ao nível da segurança, é eliminar a prostituição da avenida de Sihlquai, uma zona central da cidade perto do rio Sihl.

cm