No segundo maior concelho do Algarve, com uma imensa área rural, a criminalidade incide sobretudo nos furtos de metal e no interior de residências. Ainda assim, "é uma zona segura", garante o comandante do Destacamento Territorial de Silves da GNR.



Segundo o capitão Ricardo Bailote, os furtos "baixaram 5%" nos últimos dez meses deste ano, comparativamente a idêntico período de 2011. E a criminalidade violenta (roubos) "baixou 30%", assegura.

Algoz, Poço Barreto e Odelouca são as zonas onde se têm registado mais assaltos a habitações. Quanto aos furtos de metais (especialmente de fios de cobre da PT e EDP), ocorrem sobretudo na Estação de Silves, Pinheiro e Garrado, Fonte Louzeiros e Odelouca. Ricardo Bailote está, contudo, seguro de que a actuação da GNR "levou, nos últimos quatro meses, a uma diminuição" deste tipo de crime. "Só na semana passada detivemos quatro homens por furto de metais não preciosos", refere, adiantando que, neste caso, foi "importante a colaboração de um morador ligado ao programa Residência Segura", que no concelho de Silves tem já "cerca de mil inscritos".

cm