Três militares da GNR pescavam de forma ilegal no Parque Natural da Arrábida, aproveitando o escuro da noite, até que acabaram interceptados e detidos anteontem à noite, pelas 21h00, pela Polícia Marítima. Os 15 quilos de pescado apreendidos numa acção de fiscalização foram depois doados à Casa do Gaiato de Setúbal.



Os três militares do posto territorial de Tróia, que se encontravam acompanhados por dois seguranças de casino, estavam a pescar com armas de caça submarina e já tinham na sua posse cerca de 15 quilos de navalheiras, sargos e robalos. São arguidos e incorrem agora numa multa que pode variar entre os 500 e os 2500 euros.

Numa fiscalização de rotina, uma patrulha da Polícia Marítima, que seguia numa embarcação semi-rígida, localizou os infractores, com idades a rondar os 30 anos. Os militares estavam numa zona protegida e todo o material utilizado na pescaria foi apreendido, adiantou ao CM fonte da Polícia Marítima.

Segundo fonte oficial da GNR, contactada pelo CM, "o Comando-Geral da Guarda não foi informado de qualquer ocorrência desse tipo. Contudo, está já a averiguar junto das entidades competentes se ocorreu alguma situação que envolva militares da GNR".

cm