O que era para ser um encontro pacífico, para resolver problemas relacionados com o divórcio, transformou-se num filme de terror para uma mulher, que foi sequestrada e obrigada a actos sexuais numa casa na zona de Boliqueime, em Loulé.



O caso, ao que o CM apurou, aconteceu no domingo passado e depois de ter sido alertada a GNR, o caso foi entregue à Polícia Judiciária (PJ), órgão de polícia criminal que tem competência para investigar este tipo de crimes. O alegado agressor, ex-companheiro da vítima, já foi identificado e o caso está em inquérito.

O casal está a atravessar um processo de divórcio complicado e combinou um encontro na casa do agressor. Já dentro da habitação, começaram os momentos dramáticos para a vítima, que garante que foi ameaçada, drogada e obrigada a actos sexuais durante várias horas.

O cativeiro só terminou quando um familiar da mulher estranhou ao ver o carro desta estacionado, durante várias horas, junto à casa do ex-companheiro, o que não era normal nos últimos meses. A GNR foi alertada para a situação e a vítima foi libertada, depois de várias horas retida dentro da habitação.

Segundo foi possível apurar, a vítima terá demonstrado muito medo perante o agressor e as autoridades estão a investigar se existem antecedentes de violência doméstica no seio do casal, que tenham sido ocultados pela vítima no passado.

O agressor, perante as acusações da vítima, terá apresentado outra versão às autoridades.

cm