O dia de trabalho ainda estava a meio para o distribuidor de pão Hugo Francisco Teixeira, de 25 anos. Quando, ontem às 06h50, o funcionário de uma padaria da Afurada, em Gaia, seguia para mais um cliente, no Porto, foi surpreendido, no cruzamento da rua da Boavista com a rua de Santa Isabel, por um jipe. Um dos condutores não terá parado no semáforo, e a colisão foi violenta: Hugo, projectado, bateu com a cabeça num poste. Morreu no local.



"Começou a trabalhar às 04h00, como de costume", contou Amadeu Ferreira, primo da vítima. Hugo estava há um ano e meio na padaria 1º de Maio, distribuindo pão para hotéis, escolas e cafés. Ontem, tinha acabado de sair da Escola Secundária Rodrigues de Freitas, no Porto, e preparava-se para seguir para um café na rua da Constituição. Quando a carrinha Fiat da empresa entrava na rua da Boavista, sofreu uma colisão brutal.

O jipe BMW X5, conduzido por um bancário, de 27 anos e residente no Porto, embateu no lado do passageiro da Fiat. O funcionário foi projectado pelo vidro do passageiro e chocou contra um poste. Apesar de socorrida pelo INEM, a vítima não resistiu aos ferimentos na cabeça. Foi um colega de Hugo, de uma sucursal da empresa, que reconheceu o cadáver.

O outro condutor ficou ligeiramente ferido e foi levado para o Hospital de Santo António, no Porto. A Brigada de Acidentes da PSP investiga.

"Era um rapaz impecável", disse ao CM outro colega de trabalho. A vítima era casada e tinha um bebé de meses. O funeral é hoje, às 15h00, na Igreja Matriz de Santa Marinha, em Gaia.

cm