Cenas ousadas, nudez e sexo dominam a maioria dos capítulos da nova versão da novela ‘Gabriela’, exibida pela SIC, mas esta quinta e sexta-feira foi em dose dupla e reforçou a liderança do canal de Carnaxide no horário.

As cenas em que ‘Malvina’ (Vanessa Giácomo) e ‘Gerusa’ (Luiza Valdetaro) perderam a virgindade com os namorados ‘Rómulo’ (Henri Castelli) e ‘Mundinho’ (Mateus Solano) encheram o pequeno ecrã, em simultâneo, e atraíram 1,4 milhões de telespectadores. Ainda assim, não superou o episódio de estreia [10 de Setembro], visto por 1,648 milhões de pessoas.

Em Portugal para participar em dois colóquios sobre a obra de Jorge Amado adaptada à TV, José Wilker (‘Coronel Jesuíno’), diz ao CM ser inevitável que o remake de ‘Gabriela’ seja mais ousado do que o original de há trinta anos. "É um sinal dos tempos", afirma o actor. "Até porque o texto em que se baseia está repleto de sensualidade e erotismo", conclui.

Mas Luiza Valdetaro, que dá corpo a ‘Gerusa’, diz "não ser simples fazer estas cenas, porque existe um desconforto". Ainda assim, garante ter visto o resultado e ter achado "esplendoroso".

Já para Juliana Paes, protagonista da trama, "o corpo é uma ferramenta" e, por isso, "a nudez e as cenas de sexo não representam qualquer problema".

Mauro Mendonça Filho, realizador da novela, explica ao CM que era natural que a nova versão "transportasse uma forte carga de erotismo", admitindo que "a nudez ajuda a conquistar público".

Além das cenas ousadas, que já motivaram queixas na ERC, a novela tem também cativado os telespectadores portugueses pela caricatura dos costumes da época e pelos bordões que criou: ‘Jesus, Maria, José!’ e ‘Vou-lhe usar’.

cm