Os portugueses doaram, nas primeiras nove horas da acção de recolha do Banco Alimentar Contra a Fome (BA), 690 toneladas de alimentos. Um valor "sensivelmente" igual ao veri- ficado no mesmo período na campanha de 2011, garantiu ao Correio da Manhã Isabel Jonet, presidente do BA.

A polémica com as declarações de Jonet – a responsável afirmou que não se pode comer bife todos os dias e que em Portugal "não há fome" – parece ter passado ao lado da solidariedade. Ao CM, a responsável admitiu que "há cada vez mais pessoas a pedir ajuda ao Banco Alimentar, de uma forma directa ou através das instituições de solidariedade".

À saída dos supermercados, a maioria dos clientes doou alimentos. António Capão, 63 anos, aposentado, foi um dos que contribuiu. "Nesta altura há mais pessoas a precisar de ajuda e por isso não há razão para não apoiarmos", afirmou. Joana Rodrigues, 36 anos, de Lisboa, contribuiu para a instituição e admite esperar que as palavras de Jonet não prejudiquem a campanha. "Espero que não venha a acontecer para bem de todos os que precisam de ajuda."

Mais de 38 500 voluntários, espalhados por 1668 lojas, colaboram na iniciativa, que irá apoiar 2373 instituições e alimentar 373 mil pessoas. A campanha termina hoje mas a instituição disponibiliza até dia 9 a possibilidade de doar via internet, no site www.alimentestaideia.net, ou através de vales que correspondem a produtos, pagos nas caixas das lojas.

cm