Rajoy admite que será 'muito complicado' atingir meta do défice

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou hoje que será “muito complicado” respeitar a meta do défice público este ano, fixada em 6,3% do PIB, segundo imposição da União Europeia.
“È muito complicado reduzir em 2,6 pontos percentuais o défice num contexto de recessão, com muitos problemas com a receita e com um financiamento tão caro”, disse o governante numa entrevista ao jornal espanhol La Razon, hoje publicada.
Em 2011, a economia espanhola derrapou em cerca de 8,9% do Produto Interno Bruto (PIB), o que levou Bruxelas a impor uma meta para o défice espanhol em 2012.
“Pediram a Espanha para que faça um esforço muito difícil de redução do défice de 8,9% para 6,3% do PIB em apenas um ano”, referiu Rajoy, contrariando o que tem vindo a dizer até então de que o país respeitaria este objectivo.
Acrescentou ainda que o propósito do Executivo espanhol é o de “fazer as escolhas certas até ao final do ano”.
O pais ibérico, considerado a quarta economia da zona euro, está mergulhado num profundo programa de austeridade e espera recuperar 150 mil milhões de euros entre 2012 e 2014 através do aumento de impostos e de cortes orçamentais.
No âmbito do plano de austeridade, o Governo espanhol anunciou na sexta-feira uma revisão do valor das pensões para 2013, abaixo do valor da inflação, ao contrário do que Rajoy havia prometido na campanha eleitoral.
“É uma decisão imposta pela realidade”, justifica o primeiro-ministro, acrescentando que “é, provavelmente, uma das decisões mais difíceis, mas indispensável para o país”.

Fonte: Lusa/SOL