A família Reis está desesperada depois de as várias infiltrações na sua habitação, no Bairro dos Índios, em Olhão, terem culminado num cano rebentado, que faz escorrer água de esgoto pela parede da casa de banho. A autarquia começou a fazer obras, mas não terminou, deixando uma das paredes aberta.

"É um cheiro que não se a-guenta e temos água de esgoto a cair na banheira há várias semanas", lamentou ao CM Julieta Reis, 44 anos, que mora naquela habitação social com o marido e as duas filhas, de 12 e 17 anos.

Segundo Julieta, as infiltrações começaram quando o andar de cima iniciou umas o-bras, há cerca de dois anos, e desde então nunca mais pararam.

"Tenho as paredes de quase todas as divisões da casa com infiltrações, mas esta é a pior", conta, admitindo que há três semanas a autarquia até começou a arranjar o cano, destruindo parte da parede envolvente, mas nunca mais regressou para finalizar a obra.

Contactada pelo CM, a autarquia reconheceu ter enviado um funcionário à casa "a fim de se inteirar dos problemas de infiltração supostamente causados por uma intervenção no andar superior". Esclarece, no entanto, que como "o andar superior é propriedade privada, e caso se venha a confirmar que é causador do problema, terá de ser o proprietário a assumir a responsabilidade das obras".

Apesar de tudo, os responsáveis da autarquia garantem que estão "a acompanhar a situação, prevendo-se para breve a resolução da mesma".

cm