A RTP decidiu não renovar o contrato do ‘Top +’, que ao longo de mais de duas décadas divulgou os discos mais vendidos em Portugal, em colaboração com a Associação Fonográfica Portuguesa (AFP). As últimas emissões do programa da RTP 1, que é apresentado por Francisco Mendes e Isabel Figueira, vão para o ar nos próximos sábados de Dezembro.

O fim do ‘Top +' já é do conhecimento da Valentim de Carvalho TV, que assegurou a produção nos últimos anos, e também da AFP. O secretário-geral da associação que representa editoras discográficas, Eduardo Simões, disse ao CM que a RTP decidiu prescindir de um "programa campeão em share de audiências nesse horário e que resistiu a todas as contraprogramações possíveis e imaginárias".

Face à decisão do director de Programas da RTP, Hugo Andrade - que terá sido anunciada através de uma mensagem de correio electrónico na penúltima semana de Novembro -, Eduardo Simões disse ao CM que a AFP vai procurar manter o ‘Top+', preparando-se para negociar com os outros canais de televisão.

Aquele que era o programa televisivo com maior longevidade em Portugal - à excepção do ‘Telejornal' da RTP 1 -, consistia numa parceria com a AFP, que cedia o exclusivo televisivo das tabelas de discos mais vendidos. Chegou a ser apresentado por Catarina Furtado, contribuindo para a contratação desta última pela SIC aquando do aparecimento da primeira televisão privada de Portugal.

O CM tentou obter uma reacção da RTP à notícia, sem obter resposta até à hora de fecho.

RTP2 SEM 'CÂMARA CLARA'

O programa ‘Câmara Clara' é a mais recente baixa na grelha da RTP 2. A decisão foi anunciada em Junho a Jorge Wemans, então director do canal, mas só agora foi confirmado que termina no final de 2012.

O formato, exibido de segunda a sexta-feira, em pequenos diários, e ao domingo, numa versão alargada, chega ao fim seis anos e meio após a estreia. Foi o regresso da informação cultural diária à RTP 2, depois do fim do magazine ‘Acontece'.

"Orgulho-me do serviço que prestámos. Um serviço que é uma das faces, inegociável, do serviço público de TV", escreveu Paula Moura Pinheiro, apresentadora do programa, em comunicado. Entretanto, já corre na internet uma petição que pede a sua continuidade.

cm