O gerente e uma funcionária das bombas da Galp estavam a contar a receita do dia, na avenida Engenheiro Álvaro Roquete, em Oeiras, quando viram dois homens encapuzados e armados com uma pistola a invadirem o estabelecimento, pouco faltava para a meia-noite de domingo.

Forçaram as duas vítimas a encostarem-se à parede e depois obrigaram o gerente, com a arma apontada à cabeça, a revelar o código do cofre onde estavam onze mil euros.

Apesar do susto, as duas vítimas sobreviveram sem ferimentos ao roubo e sequestro – já foram ouvidas pela secção de roubos da Polícia Judiciária de Lisboa.

Após o crime, a dupla de assaltantes pôs-se em fuga e não voltou a ser vista. Os dois homens, que durante o assalto fizeram várias ameaças de morte, utilizaram um Renault Clio, que deixaram nas imediações do posto de abastecimento de combustível, segundo adiantaram às autoridades algumas testemunhas no local.

O objectivo foi conseguir deixar a viatura num sítio fora do alcance do sistema de videovigilância das bombas. Os passos dos assaltantes dentro da gasolineira ficaram gravados – as imagens estão entregues à Judiciária. Esta é, pelo menos, a segunda vez que as bombas são assaltadas.

cm