Estava em liberdade condicional depois de cumprir parte de uma pena de prisão por homicídio, mas voltou ao crime. Daliano Chivangue, de 34 anos, agredia a mulher e até a própria filha, de oito anos. Foi ontem condenado a dois anos e três meses de cadeia por bater na menor à frente do Tribunal de Família e Menores do Porto.

O caso ocorreu a 8 de Fevereiro deste ano. O arguido, que estava a meio de um divórcio litigioso com a mãe da sua filha, foi ao Tribunal de Menores, como decidido judicialmente, para ver a criança. Quando a ainda companheira chegou com a menor, ficou com medo ao ver Daliano e correu de mãos dadas com a menina.

O arguido agarrou a menor pelo carapuço do casaco. A filha caiu e quando a levantou pôs o braço à volta do pescoço da menina, puxando-a, enquanto ameaçava a mãe. "Tu vais retirar a queixa", disse, referindo-se ao processo de violência doméstica em que também foi condenado. Na altura, Daliano foi travado por um agente da PSP e a menina teve de receber tratamento hospitalar.

Acusado de tentativa de homicídio, o arguido foi ontem à tarde condenado a pena de prisão por tentativa de coacção e ofensa à integridade física qualificada, agravadas pela reincidência.

cm