Desempregado e viciado em álcool, tratava a família de forma violenta. As agressões só pararam quando o homem, de 30 anos, ficou em prisão preventiva.

No dia 14 de Novembro, já em liberdade, tentou atear fogo à casa que o pai lhe emprestara para começar uma nova vida, na Quinta do Gato, em Aveiro. Os vizinhos apagaram as chamas e o cadastrado foi apanhado anteontem pela Polícia Judiciária, por um crime de incêndio.

Vítimas de violência doméstica, o pai e a irmã do detido tentaram, ainda assim, ajudá-lo, mas de pouco valeu. O homem, num quadro de grande dependência de álcool, estava desesperado. Às autoridades, não conseguiu explicar porque pretendia destruir a casa. Mostrou-se revoltado com o facto de viver sozinho, mas não apresentou um motivo válido para ter cometido aquele crime.

Para provocar o incêndio, o desempregado usou diluente que espalhou abundantemente por toda a habitação. O fogo – que esteve próximo das casas vizinhas – só não teve consequências mais graves porque alguns vizinhos conseguiram extinguir as chamas. Ao fecho desta edição, não foi possível apurar as medidas de coacção aplicadas.

cm