Vídeo sobre o funcionamento da tecnologia Muse





A partir de 2013, vai ser possível controlar smartphones e tablets apenas com a mente - ou, pelo menos, usar o poder do cérebro para tarefas simples como enviar e-mails ou dar ordens em jogos de vídeo. A inovação será trazida pela Muse, uma tecnologia desenvolvida pela start-up canadiana Interaxon.

O projeto, que estava inscrito numa plataforma de financiamento coletivo para tentar angariar os 150.000 dólares (cerca de 114.000 euros) necessários para arrancar, fez um sucesso tal junto dos utilizadores que superou em quase 100.000 dólares o valor pretendido, conseguindo mais de 240.000 dólares (perto de 183.000 euros) em doações.

Em causa está uma espécie de "bandelete" com quatro sensores incorporados que mede as ondas cerebrais em tempo real. O dispositivo transforma estas ondas em "instruções" que envia aos aparelhos eletrónicos para que haja interação com o conteúdo dos sistemas iOS e Android, permitindo controlar aplicações e jogos.

Além disso, segundo os seus criadores, a Muse envia informações para os smartphones ou tablets, mostrando ao utilizador de que forma o cérebro está a desempenhar as suas funções e ajudando-o, assim, a reduzir o stress e a melhorar a memória e a concentração.

O produto, que se conecta aos aparelhos via Bluetooth, foi recentemente apresentado pela Interaxon na LeWeb Conference, em Paris, onde a diretora-executiva da empresa, Ariel Garten, demonstrou as suas potencialidades. "Este é o primeiro dispositivo controlado pela mente que é fácil de usar e tem estilo", afirmou Garten, citada pela CNET.

Produto vai começar a ser comercializado em 2013


Tendo por voluntário o fundador da LeWeb, Loic Le Meur, Garden exibiu uma aplicação, a Emotype, que vai permitir "enviar e-mails com emoção", já que altera os tipos de letra das mensagens consoante o estado de espírito do remetente: quando este está "mais relaxado" os e-mails surgem com uma fonte larga, ao passo que as fontes mais pequenas indicam "grande foco e compromisso".

Durante a apresentação, Garten explicou que o produto, que é colocado na cabeça como uma espécie de óculos, mas ao contrário, vai ser comercializado em 2013 através da Indiegogo por 199 dólares (aproximadamente 150 euros).

A Muse vem com os seus próprios jogos e, de acordo com a diretora-executiva da start-up, vai trazer também um "kit" de desenvolvimento de software, para dar aos utilizadores a hipótese de desenvolverem as suas aplicações. "Convidamos todos trabalhar em conjunto connosco e a ajudar-nos a desbloquear o potencial desta tecnologia", concluiu.

Clique AQUI para saber mais sobre este dispositivo (em inglês).

Bnoticias