Amarrada com fita-cola, espancada e obrigada a manter relações sexuais com o ex- -companheiro, uma mulher, de 45 anos, foi mantida em cativeiro, sem dormir, durante sete noites, numa casa abandonada na Mouraria, em Lisboa. Até que, aproveitando um momento de distracção do homem, escapou.

Foi a 8 de Dezembro de 2011 que a vítima fugiu do local para onde tinha sido arrastada pelo homem que a ameaçou com uma faca. O agressor, em prisão preventiva desde o crime, acusado de violência doméstica, rapto agravado e violação, começou ontem a ser julgado, à porta fechada, no Campus da Justiça, em Lisboa. Só assumiu o crime de violência doméstica. A vítima quis depor na presença do agressor.

"Espero que seja feita justiça, e que ele seja condenado", desabafou a mulher violentada, que sofreu na altura várias lesões.

cm