Um grupo de desconhecidos destruiu mais de 62 mil litros do vinho Brunello di Montalcino, da casa vinícola Casse Base, da Toscânia, Itália.

O ataque à adega foi classificado como um acto de intimidação ao estilo da Mafia. Os vândalos invadiram no domingo à noite a propriedade e abriram as torneiras de dez enormes barris, deixando o vinho correr para o chão. O trabalho de seis anos desapareceu.

Na manhã seguinte, quando os funcionários chegaram encontraram apenas poças de líquido vermelho no chão. De acordo com o jornal ‘La Stampa’, o prejuízo deve ascender a seis milhões de euros.

O fundador da casa vinícola, Gianfranco Soldera, de 75 anos, não tem explicação para o ataque. “Nunca recebi uma ameaça. Não tenho nenhuma ideia de por que isto aconteceu ou quem o pode ter feito”, disse em declarações à agência Reuters.

cm