Portugal perde anualmente 12,3 mil milhões de euros por não tributar a enorme fatia que a economia paralela representa no País, o que poderia cobrir 78% do défice público.

Estes cálculos constam de um estudo citado pela Comissão Europeia (CE), que lançou algumas medidas contra a fraude e evasão fiscais, nomeadamente a criação de um NIF europeu.

A economia paralela em Portugal, segundo a CE, é 19% do PIB, apesar de o estudo citado apontar para 23%, valores ligeiramente superiores aos da média europeia.

cm