A vida de Clídia Silva, 57 anos, residente no concelho de Cantanhede, "mudou para sempre" no dia 11 de Junho, quando dois assaltantes lhe "encostaram uma navalha à barriga" e roubaram a pulseira de ouro. Estava a entrar para a escola, em Taboeira, onde trabalha como auxiliar, quando foi atacada: "Foi um susto que ficou para toda a vida."

A mesma dupla é responsável por outros roubos por esticão, sobretudo a idosos, espalhando o terror um pouco por todo o concelho. A sua detenção e de um outro grupo – num total de dez suspeitos –, que se dedicava ao furto de carros e assaltos a estabelecimentos comerciais, contribuiu para aumentar a segurança, diz Diamantino Fernandes, comandante da GNR de Cantanhede.

Os roubos e as burlas a idosos são os crimes que mais inquietam a população. As burlas registam-se sobretudo no centro da cidade, nas imediações dos bancos. Os burlões vigiam as vítimas e, à saída, abordam aquelas que fizeram levantamentos.

Os assaltos à mão armada a postos de abastecimento de combustíveis, em zonas isoladas, também têm aumentado e preocupam as autoridades.

cm