Já cadáver, o corpo da mulher foi encontrado ao lado do carro, à entrada de Faro, no acesso da via rápida do aeroporto à EN2, por volta das 09h30 de ontem. A viatura estava com o pneu da frente, do lado direito, furado e a respectiva jante amolgada, tal como a chapa, na lateral do mesmo lado. A inglesa, de 55 anos, terá sido vítima de doença súbita e despistou-se, acabando por morrer após sair do veículo.

O caso está a ser investigado pelo Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação de Faro da GNR, mas tudo aponta para que não tenha ocorrido qualquer crime. "A condutora terá sofrido um ataque e perdeu o controlo do carro, que embateu no separador central", explicou fonte do Comando da GNR na região. "Quando o veículo parou, ela conseguiu sair, mas terá morrido logo a seguir", acrescentou.

Uma equipa do INEM ainda se deslocou ao local, mas, após efectuar, sem sucesso, algumas manobras para tentar a reanimação da vítima, acabou por declarar o óbito.

O carro, com o corpo ao lado, ficou imobilizado numa zona de curva, o que obrigou a GNR a condicionar o trânsito no local, até que o cadáver fosse retirado.

Residente em Paderne, Albufeira, a mulher ia sozinha na viatura – um Ford Fiesta de modelo antigo – e, ontem à tarde, as autoridades estavam a tentar contactar a família. O corpo foi transportado para o Gabinete de Medicina Legal do Hospital de Faro, para a realização da autópsia, que permitirá determinar as causas da morte.

cm