O Tribunal de Lagos voltou a absolver a médica anestesista Maria de Jesus Lima e o ex-director clínico do Hospital de Lagos, Pimenta de Castro, do homicídio por negligência de dois pacientes que morreram após receberem a anestesia, em 2004.

O colectivo confirmou assim, anteontem, a decisão da primeira instância, de Julho de 2008, anulada, em 2010, pela Relação, que mandou repetir o julgamento, com novas perícias.

Os advogados das famílias das vítimas admitem voltar a recorrer, mas vão "analisar a decisão".

cm