O Ministério da Solidariedade e da Segurança Social vai reforçar com 225 euros por mês a comparticipação do Estado a cada uma das 6800 crianças e jovens em risco institucionalizados.

"Tínhamos lares de infância e juventude que estavam com uma comparticipação financeira muito diminuta, de 475 euros. Percebemos que não é possível dar um salto de qualidade com esta participação e, por isso mesmo, lançámos um novo projecto que vai passar por aumentar a dotação financeira de 475 euros para 700 euros por cada criança e jovem em risco", garantiu Pedro Mota Soares, ontem, em Lisboa.

"Queremos trabalhar para garantir que efectivamente é possível termos projectos mais inclusivos e que conseguimos desinstitucionalizar crianças e jovens em risco", frisou.

O Governo iniciará em 2013 dois projectos-piloto para testar duas modalidades de lares de infância e juventude, respectivamente especializados em crianças com problemas sócio-educacionais e em crianças com necessidades do foro da saúde mental.

cm