Meia centena de alunos do Instituto Superior de Ciências Empresariais (ISCTE) contestou ontem o fecho da cantina nova da Universidade de Lisboa (UL), previsto para o início de 2013.

"Com o fecho temos de recorrer a refeitórios privados", afirmou João Mineiro, da Associação de Estudantes do ISCTE. Luís Carvalho, da reitoria da UL, justifica a decisão: "80% dos alunos que frequentam o refeitório são do ISCTE, não compete à acção social financiar alunos de outras universidades". Luís Reto, reitor do ISCTE, está "disponível" para manter a cantina, desde que a UL transfira a gestão para o instituto.

Os estudantes permaneciam à hora do jantar na cantina, onde pretendiam passar a noite.

cm