Orçamento de Lisboa sobe para quase mil milhões

A proposta de orçamento da Câmara de Lisboa para 2013 é de quase mil milhões de euros, superior em cerca de 86 milhões ao deste ano, 290 dos quais acordados com o Estado segundo números revelados esta segunda-feira.

De acordo com a proposta do orçamento municipal divulgado à agência Lusa, o plano municipal para 2013, com discussão agendada para a reunião privada de câmara de quarta-feira, aponta um valor de 998.813.128 euros, superior em quase 87 milhões de euros ao aprovado para 2012, de 911.856.432 euros.

Do lado da receita, em 2013, o executivo liderado pelo socialista António Costa estima obter a maior fatia do orçamento, 37,6%, através da venda de bens de investimento, num total de 375.083.922 euros, provenientes, na sua maioria (290 milhões), de venda de terrenos ao Estado, no seguimento do acordo com o Governo para a regularização patrimonial dos terrenos do aeroporto e do Centro Cultural de Belém.

A Câmara de Lisboa prevê arrecadar no próximo ano mais cerca de 57 milhões através da alienação de património: dois lotes na Avenida das Forças Armadas (cerca de 18,5 milhões), o Mercado 31 de Janeiro (12 milhões), quase 600 lugares de estacionamento em Carnide (cerca de dois milhões), 363 fogos de habitação social (cerca de 5,4 milhões), mais de 26 fracções dispersas (num total de cerca de 3,5 milhões), quase uma centena de outros fogos habitacionais (perto de quatro milhões) e uma dezena de comerciais (800.000 euros).

A autarquia pretende ainda vender o Palácio de Santa Catarina, por 3,9 milhões, e o Tribunal de Boa Hora, por seis.

Do lado da receita corrente, o executivo municipal espera receber cerca de 283 milhões em impostos directos, mais 19 milhões do que em 2012, motivados pelo aumento da receita recebida através do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e da derrama.

A autarquia espera receber este ano cerca de 110 milhões de euros através do IMI e 84 milhões pela derrama, quando no ano passado recebeu 106 e 62 milhões, respectivamente.

O executivo aumenta também a expectativa de receita quanto ao Imposto Único de Circulação, que aumenta de 13 para 14 milhões.

cm