Passam hoje oito anos desde que o FC Porto conquistou o título de vencedor da Taça Intercontinental, ao derrotar o Once Caldas, por 8-7 nas grandes penalidades, em Yokohama, no Japão.

Numa partida onde só deu «Porto», a equipa portuguesa teve de esperar pelo desempate das grandes penalidades para sorrir e oferecer a Portugal a Taça de campeão do Mundo.

Os «filhos do Dragão», nesta partida, tiveram uma atitude ofensiva... que acabaria por se traduzir em várias bolas na trave e dois golos mal anulados.

Mas os portistas nunca viraram a cara ao sonho e ambição. Com os pés no chão... conseguiram preencher mais uma página de ouro da sua história. É que ao fim de 18 penáltis (sim, 18 tentativas) o FC Porto sagrou-se campeão do Mundo, depois de um nulo nos 90 minutos.

Pedro Emanuel, agora treinador da Académica, foi o último portista a bater o penálti. Na marca dos 11 metros e no momento da decisão, Emanuel olhou o guarda-redes Juan Carlos Henao e atirou a contar, alimentando o vício de ganhar em tons de azul.

Em terras onde nasce o sol, o FC Porto acabaria, com justiça, por confirmar o seu favoritismo e vencer uma das provas emblemáticas do calendário mundial de futebol de clubes.




lusa