As Câmaras de Lagoa e Silves começaram a receber esta semana os processos de candidatura para os apoios de famílias que foram afectadas pelo tornado que atingiu a região no dia 16 do mês passado. Os processos serão depois encaminhados para a Segurança Social. Até ao momento, apenas 11 famílias fizeram candidaturas.

Rui Correia, vice-presidente da autarquia, diz que existe uma estimativa de que, até ao final do prazo, "30 a 40 famílias" venham a solicitar apoios, mas, até ontem, apenas uma dezena o tinha feito.

Em Silves, houve 97 famílias e empresas que comunicaram à GNR que tinham sofrido estragos. A Câmara já contactou 87 dos lesados com o objectivo de informá-los de que está a decorrer o prazo para candidaturas, mas só um deles deu início ao processo.

Os apoios podem chegar aos 5030 euros para obras de reparação em habitação permanente e aos 2095 euros por cada elemento do agregado para aquisição de equipamento doméstico. São atribuídos pela Segurança Social e destinados a famílias de baixos recursos económicos. Podem ainda recorrer a apoios da Segurança Social as empresas afectadas pela tornado (só em Silves foram oito), visando a recuperação de postos de trabalho.

cm