A decisão de um padre italiano está a causar polémica na localidade de San Terenzo. Don Piero Corsi publicou um manifesto à porta da sua igreja, chamando à atenção às paroquianas para a forma como se vestem. O pároco entende que algumas roupas ousadas podem atrair os criminosos.

No manifesto, que entretanto foi retirado por ordem do bispo, podia ler-se que “as mulheres, com as roupas curtas e ofensivas, estão a afastar-se da vida virtuosa em família, provocando instintos em criminosos”. Don Piero Corsi acrescentava que “elas devem fazer um exame de consciência e perguntar a si mesmas se não são elas que procuram atenções indesejadas”.

O manifesto rapidamente causou polémica na paróquia e por toda a Itália, onde o número de mulheres assassinadas este ano já chega a 118.

Além da sociedade, também a Igreja não gostou das palavras do pároco. O Bispo de La Spezia, Ernesto Palletti, ordenou a retirada do manifesto, justificando: “O seu conteúdo é enganoso em relação aos sentimentos de condenação da violência contra as mulheres”. O clérigo esclareceu ainda que o texto continha “motivações inaceitáveis que vão contra o sentimento comum da Igreja”.

cm