Uma carga com 174,710 quilos de cocaína proveniente da Colômbia foi apreendida pela Polícia Judiciária em caixas de banana que se destinavam a superfícies comerciais das zonas do Alentejo e Centro do País. Avaliada em mais de cinco milhões de euros, a droga encontrava-se dissimulada no meio da fruta dentro de caixas de cartão.

Proveniente da Colômbia, a carga foi transportada de barco até ao nosso país. Segundo um comunicado emitido ontem, a primeira apreensão de 55,970 quilos foi realizada pela PJ do Centro numa superfície comercial daquela região.

Ao abrirem as caixas, os destinatários das bananas foram surpreendidos com pacotes de droga e alertaram as autoridades. A partir daí, foram desenvolvidas outras diligências, e a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes veio a intercetar mais 118,740 quilos de cocaína em três pontos comerciais no Centro e no Alentejo.

A droga, distribuída por pacotes de um quilo, encontrava-se escondida no meio das bananas, mas estava facilmente acessível a quem abrisse as caixas. A técnica é frequentemente usada por redes internacionais que contam com elementos, nos diversos países, para recolher a droga e a retirar das embalagens antes de a carga chegar ao destino.

Uma falha no percurso fez com que os 174,710 quilos fossem parar às mãos da PJ. Segundo fonte da mesma, os fatores podem ser muito diversos. Os elementos das redes são extremamente cuidadosos. Bastaria uma pequena alteração da rotina para não arriscarem. A PJ está agora a tentar reconstituir o trajeto da carga para perceber onde e quando a droga deveria ter sido intercetada pela rede.

O destino da carga ilícita não é ainda conhecido. Mas o facto de ter entrado através de Portugal não significa que se destinasse ao mercado nacional. Poderia ter como destino outro país da Europa.

cm