O designer Erick Reis, de 20 anos, registou uma 'chuva de aranhas' em Santo António da Platina, no norte do Paraná. Segundo o jornal ‘Tribuna Hoje’ o autor do vídeo contou que nunca tinha visto um fenómeno deste tipo e que ficou assustado com tal situação.

"Eu estava a fotografar a festa de noivado de uns amigos e vi as aranhas quando já estava a ir embora, ao fim da tarde. Fiquei pasmado com a situação, nunca tinha visto nada igual, tanto que nem acreditei a 100 por cento no que estava a ver", explicou.

Erick disse ainda que as aranhas estavam presas em teias e que se movimentavam bastante. "Foi muito estranho, fiquei tão distraído que até me esqueci das câmaras à chuva. Eu não tenho ideia de quantas estavam aglomeradas, sei que eram muitas", acrescentou.

Uma bióloga especialista em aranhas da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Marta Fischer, analisou a imagem e disse que o fenómeno é normal e ocorre principalmente em cidades do interior de São Paulo.

"São aranhas da espécie Anelosimus Eximius, também conhecidas como aranhas sociais. Normalmente ficam nas árvores durante o dia e ao final da tarde e início da noite constroem uma espécie de lençol de teias, cada uma faz a sua própria teia e depois unem-se todas. O objetivo é capturar insetos", explicou a bióloga.

"Durante o dia, elas destroem as teias para evitar que as aves façam isso", conclui Marta, afirmando ainda que o veneno desta espécie de aranhas não causa riscos aos humanos.

cm