Domingos Paciência, que esta segunda-feira abandonou o comando técnico do Deportivo, lamentou a má sorte em momentos decisivos e erros de arbitragem que prejudicaram a equipa.

"Além dos erros que podemos ter cometido, tivemos muito pouca sorte em momentos decisivos e também, porque não, erros de arbitragem que nos custaram muito caro", afirmou Domingos Paciência, em comunicado divulgado pelo emblema galego.

O técnico português, que esteve cerca de seis semanas no clube e foi substituído pelo espanhol Fernando Vásquez, aproveitou para agradecer a "todos os elementos e funcionários do clube, ao plantel e aos adeptos pelo apoio" que recebeu enquanto esteve no Deportivo.

"Saio impressionado e agradecido pelo apoio com que os adeptos brindam a equipa, apesar dos momentos mais difíceis, e triste, muito triste, pelos resultados", referiu.

Domingos Paciência, de 44 anos, apela ainda ao apoio à equipa na luta pela permanência na Liga espanhola, que considera possível.

"Estou convencido que a salvação, o objetivo de continuar na Liga, ainda é possível. Há vontade, há união e há capacidade. O meu maior desejo é que o Depor continue onde merece estar", concluiu.

Após 23 jornadas, o Deportivo, que conta com os portugueses Zé Castro, Sílvio, André Santos, Bruno Gama, Pizzi, Diogo Salomão e Nelson Oliveira, ocupa o 20.º e último lugar da Liga espanhola, com 16 pontos, a seis do Osasuna, 17.º colocado e o primeiro classificado acima da zona de despromoção.

Domingos tinha sido contratado pelo clube galego a 30 de dezembro de 2012, para suceder a José Luis Oltra, tendo conseguido uma vitória na estreia, empatado o segundo jogo e somando depois quatro derrotas consecutivas, a última das quais no sábado, na receção ao Granada por 3-0.




Record