A taxa de desemprego manteve-se estável na zona euro em dezembro (11,7%) pelo segundo mês consecutivo, uma situação que não se verificava desde maio de 2011, anunciou nesta terça-feira a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

De acordo com dados hoje revelados pela OCDE relativos às 34 economias que compõem a Organização, a taxa de desemprego estabilizou nos 8,0% em dezembro, sem alterações face ao mês anterior.

No caso da zona euro, a taxa de desemprego é mais elevada (11,7%), mas foi a primeira vez desde maio de 2011 que se manteve inalterada, "depois de 17 meses de ininterrupto aumento".

Em Portugal, a taxa de desemprego em dezembro atingiu um novo pico, nos 16,5%, acima dos 16,3% registados em novembro, sendo que, para todo o ano de 2012, a taxa de desemprego média foi de 15,5%, o que compara com os 12,9% de 2011 e com os 11,0% de 2010.

Numa divisão por género, as mulheres dos países da OCDE são mais afetadas pelo desemprego do que os homens, com as taxas a atingirem, em dezembro, os 8,1% e os 7,9%, respetivamente.

A tendência mantém-se no caso da zona euro, em que a taxa de desemprego para as mulheres era de 11,8% e a dos homens de 11,6%, mas inverte-se, no caso português, sendo os homens os mais afetados pelo desemprego (17,1%) do que as mulheres (15,9%).

Em dezembro, a taxa de desemprego manteve-se estável nos Estados Unidos (7,8%), ao passo que no Canadá contraiu 0,1 pontos percentuais (7,1%) e no Japão aumentou 0,1 pontos percentuais (4,2%).

Segundo o relatório da OCDE, as tendências no desemprego entre os países da OCDE "divergiram significativamente desde o início da crise económica e financeira", destacando-se que, em janeiro deste ano, as taxas de desemprego estavam "significativamente abaixo dos picos alcançados no rescaldo da crise no Canadá e nos Estados Unidos", estando 1,7 e 2,1 pontos percentuais abaixo, respetivamente.

No último mês de 2012, a taxa de desemprego no Japão estava próxima do seu nível anterior à crise, enquanto na Alemanha estava já 2,1 pontos percentuais abaixo do nível pré-crise.

Por oposição, em dezembro, a taxa de desemprego atingiu novos picos em vários países, como foi o caso de Portugal (16,5%), França (10,6%), Grécia (26,8%, dados de outubro, o último mês com informação disponível) e Itália (11,2%).

No total, estavam desempregadas 48,2 milhões de pessoas desempregadas em dezembro de 2012 nos países da OCDE, mais 13,5 milhões do que em julho de 2008.

cm