O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, inicia esta segunda-feira uma visita oficial de cinco dias à China, que ficará marcada pela criação de um centro de investigação conjunto.

"Estamos a trabalhar para o futuro", comentou à agência Lusa o embaixador de Portugal na China, José Tadeu Soares.

O diplomata referia-se ao Centro de Inovação sino-português na área de materiais avançados, cuja criação será formalmente acordada na quinta-feira em Hangzhou, capital da província de Zhejiang, leste da China.

Ainda em Lisboa, o ministro português adiantou à agência Lusa que "o centro estará operacional muito em breve".

Nuno Crato e o homólogo chinês, Wan Gang, assinaram em junho passado em Lisboa um memorando destinado a fomentar a cooperação científica bilateral, envolvendo empresas, universidades e centros de investigação. Entre as instituições representadas na comitiva do ministro português figuram o Instituto Superior Técnico.

A agenda inclui ainda visitas a três das mais conhecidas universidades chinesas, em Pequim e em Xangai.

cm