O relatório do inquérito sobre o escândalo da fuga de documentos confidenciais "Vatileaks" será transmitido exclusivamente ao novo papa, anunciou segunda-feira o porta-voz do Vaticano.

"O papa decidiu que os atos (...) estarão à disposição exclusiva do seu sucessor", declarou o padre Federico Lombardi, durante um encontro com a imprensa.

Bento XVI recebeu hoje a comissão dos três cardeais reformados, que dirigiu um inquérito, desde abril passado, a pedido do papa, sobre aquele escândalo: o cardeal espanhol Julian Herranz, o eslovaco Jozef Tomko e o italiano Salvatore De Giorgi, divulgou a agência Lusa.

cm