O julgamento do militar da GNR acusado de, em 2006, ter tentado matar dois jovens em fuga foi esta segunda-feira adiado para 20 de maio e 3 de junho, por decisão da 2.ª Vara Criminal do Porto.

O tribunal decidiu que o dia 20 de maio será para ouvir o arguido, as alegadas vítimas, que eram o condutor e o pendura da viatura em fuga, e a acusação. A defesa intervirá a 3 de junho, à tarde, divulgou a agência Lusa.

O caso remonta à madrugada do dia 3 de outubro de 2006, quando o militar da GNR Pedro Carvalho disparou sobre um carro em fuga, no Porto, perto da Escola Secundária Garcia da Orta, tendo morto um ocupante e ferido outro. As vítimas seguiam no banco traseiro.

O militar, hoje com 35 anos, foi então acusado de homicídio simples e acabou por ser absolvido, no Tribunal de São João Novo, em dezembro último.

O caso, porém, não ficou por aí: por um lado, o Ministério Público recorreu daquela sentença e o julgamento terá de ser repetido parcialmente. Por outro lado, Pedro Carvalho está também acusado de homicídio, na forma tentada, dos dois outros ocupantes da viatura.

cm