Rui Costa e Ricardo Sá Pinto garantiram ontem, no Tribunal de Oeiras, que nunca foram aliciados para apoiar políticos, em particular José Sócrates ou o PS, demarcando-se dos termos em que tal aliciamento aconteceu com Luís Figo. Os dois antigos futebolistas, patrocinados pela PT entre 2008 e 2011, foram ouvidos como testemunhas no ‘caso Taguspark’, onde estão em causa alegadas contrapartidas dadas pelo Taguspark ao ex-jogador Luís Figo, por intermédio de Rui Pedro Soares, para apoiar José Sócrates nas eleições legislativas de 2009.

"Este gajo da bola nunca foi abordado para apoiar ninguém", afirmou Rui Costa, reproduzindo uma expressão que tinha sido utilizada pela testemunha Paulo Penedos. "Nunca fui convidado a apoiar nada na política em Portugal", acrescentou o dirigente do Benfica em resposta ao advogado e irmão de Rui Pedro Soares. Recorde-se que a investigação intercetou uma conversa entre Penedos e o socialista Marcos Perestrello, na qual o então assessor de Rui Pedro dizia que o administrador do Taguspark "conhece toda a gente e mais alguém" e que "os gajos em que tropeça no mundo da bola estão a apoiar o PS e Sócrates".

Confrontado com as mesmas declarações, Ricardo Sá Pinto garantiu também nunca ter sido "convidado, aliciado ou abordado para apoiar Sócrates".

A estratégia da defesa de Rui Pedro Soares passou por desmontar as declarações de Paulo Penedos, que acusou a chamada geração de ouro do futebol português de não fazer nada sem receber contrapartidas. Sá Pinto e Rui Costa mostraram-se indignados, garantindo que os jogadores entre-gavam prémios de jogos da Seleção a instituições de solidariedade. "Sempre sem qualquer publicidade", afirmou Rui Costa. No julgamento são arguidos Rui Pedro Soares, Américo Thomatti e João Carlos Silva.

RUI PEDRO SOARES E SÁ PINTO JUNTOS NO BALNEÁRIO DO FC PORTO

O arguido Rui Pedro Soares e o ex-jogador do Sporting Ricardo Sá Pinto são amigos de longa data. Os dois partilharam o mesmo balneário no FC Porto nos escalões jovens do clube. "Devíamos ter sete ou oito anos. Jogámos futebol juntos no FC Porto", explicou Sá Pinto, que se apresentou de canadianas no Tribunal de Oeiras, acrescentando: "Só na segunda reunião, para acertar o meu contrato com a PT, é que ele [arguido] me recordou isso. Desde então reatámos a nossa relação de amizade".

cm