Governo garante que não haverá pressão sobre os trabalhadores.

Os sindicatos temem que os funcionários públicos que recusem as rescisões amigáveis sejam colocados em mobilidade especial (quadro de excedentários). Porém, o Governo garante que isso não acontecerá.


"Temos a certeza de que, em alguns sítios, vão dizer ‘ou aceitas a rescisão amigável ou vais para o quadro da mobilidade especial' e estas são situações que não aceitamos de maneira nenhuma", disse ontem o dirigente da Frente Sindical da Administração Pública (Fesap), Nobre dos Santos, após a reunião no Ministério das Finanças.

de