1. #1
    Avatar de mjtc
    Registo
    Feb 2010
    Posts
    9.216

    Padrão Volkswagen Carocha – O Carro do Povo!

    O Volkswagen Carocha foi o carro mais vendido de sempre. A história deste modelo mítico é uma das mais longas da história do automóvel e a sua criação envolveu várias empresas e até o próprio governo alemão. No início dos anos 30, a Alemanha estava em recessão e era um dos países europeus com menos carros (comparado a países como os Estados Unidos e a França), embora tivesse fábricas produtoras de modelos de luxo.

    A ideia de um carro pequeno, económico e fácil de produzir ganhou
    consistência, associada ao conceito do "Volks Auto", ou "Volks Wagen",
    expressões alemãs que significam "carro popular".

    Ferdinand Porsche (1875-1951), projectista de carros austríaco, aceitou o desafio e propôs-se apresentar um projecto para o carro do povo ao III Reich, que estava no poder e que queria a modernização do país e a recuperação da economia e emprego. Para o III Reich, um carro do povo feito por trabalhadores alemães e viajando por todo o país era o ideal.

    Decidido a financiar uma empresa estatal para produzir os automóveis que idealizava, o III Reich encontrou-se em 1933 com Porsche, apresentando uma lista de exigências que o carro teria que satisfazer:
    - Lugar para dois adultos e três crianças;
    - Alcançar e manter a velocidade média de 100 km/h;
    - O consumo de combustível não poderia passar 13 km/litro;
    - O motor deveria ser refrigerado a ar;
    - Ter se possível, um motor traseiro de 986 cc, e 26 cv de potência.
    - Na versão militar, o carro deveria ser capaz de carregar três soldados e uma metralhadora e o preço deveria ser inferior a 1000 marcos.

    A 22 de Junho de 1934, o contrato foi assinado e os equipamentos foram instalados na casa de Porsche em Estugarda. A equipa de Porsche era liderada por Karl Rabe, e contava com o designer Erwin Komenda, responsável pelo desenho da carroçaria; Franz Xaver Reimspiess que desenvolveria o motor final e logotipo VW; Joseph Kales, Karl Fröhlich, Josef Mickl, Josef Zahradnik, e o filho de Porsche, Ferry. Um ano depois, o Volkswagen Carocha começou a ser construído em segredo. Nesta altura o desenho do carro do povo era diferente da sua versão final, que só foi criada em 1938.

    Protótipo Tipo 12 desenhado por Erwin Komend
    e fabricado pela Zundapp em 1932. Surgiram
    três protótipos mas o fabricante de motocicletas
    abandonou o projecto.

    Protótipo Tipo 32 ou Volksauto, construído
    pela NSU em 1934. Surgiram também três
    protótipos, e tal como a Zundapp, a NSU
    abandonou o projecto.

    Em 1937 o protótipo Tipo VW30 já tinha uma evidente semelhança com o futuro carocha, como por exemplo, os faróis eram
    colocados nos guarda-lamas dianteiros e o declive do porta-bagagens acompanhava toda a sua extensão, marcando desta
    forma a inconfundível silhueta futura do Carocha. Ainda não possuía para-choques e vidro traseiro.

    Em 1938, o novo modelo passava a ter para-choques, estribos e janelas bipartidas ou mais conhecidas como Split Window.

    Nesse mesmo ano de 1938, foi lançada uma versão com tecto
    solar de tecido.

    Este carro veio a ser identificado com a designação de "Carocha" por se assemelhar ao bicho com o mesmo nome e também por ter recebido a denominação de "Beetle" (escaravelho) na crítica irónica de um jornalista do jornal norte-americano New York Times, em 1938.

    Os primeiros protótipos foram terminados em fins de 1935, sendo baptizados com o código VW1 e VW2. Os primeiros ensaios em estrada foram realizados de Outubro a Dezembro de 1936, com base em três protótipos, e depois de estes serem analisados por uma comissão de admissão à produção, composta por representantes de todos os construtores de automóveis alemães, o projecto foi aceite. Em 1937 e 1938 foram fabricados à mão, pela Mercedes-Benz, por ordem expressa de Hitler, duas séries de protótipos, conhecidos pelo nome de VW38. Uma primeira série de 30 e posteriormente, uma nova série de 60, que realizam ensaios de avaliação em grande escala.

    Foi em 1938 que se decidiu construir uma fábrica para produção dos Volkswagen. O local escolhido foi a propriedade do conde von Schulenburg, o castelo de Wolfsburg, em Fallersleben na Baixa-Saxónia, a 80 km da cidade de Hanovre. A empresa que iria produzir o novo carro foi registada, em 28 de Maio de 1938, como nome Gesellschaft zur Vorbereitung des Volkswagens (GEZUVOR) - Companhia para o desenvolvimento do Volkswagen, que foi mudado para Volkswagenwerk GmbH em Outubro seguinte. A fábrica foi lançada por Hitler em 26 de Maio de 1938, sendo aí apresentados os protótipos definitivos, de pré-produção, um dos quais, era descapotável e outro com um amplo tecto de abrir. A produção atingiu as 150.000 unidades em 1940. O carro estava apenas disponível numa só cor: um azul-escuro acinzentado, quase preto.

    Para adquirir o automóvel os alemães tinham como modalidade de compra, um sistema em que os trabalhadores adquiriam mensalmente cupões pelo valor mínimo de 5 marcos, sendo estes colocados na Caderneta. Só podiam obter o carro após terem acumulado o valor de 900 marcos em cupões, adicionado mais 50 marcos no momento da entrega do carro, e mais 200 marcos em troca de dois anos de seguro. Nesta data o salário médio era de 200 a 300 marcos mensais.

    Os contratos não se podiam cancelar, nem transferir, e deixando de pagar um mês, perdiam todo o montante. Apesar destas condições, 336.688 pessoas assinaram este contrato, no entanto, nenhuma destas pessoas chegou a receber o seu carro, já que com o surgimento da Segunda Guerra Mundial, que é coincidente com a saída da linha de montagem dos primeiros veículos, a construção do Volkswagen é preterida em favor da necessidade de um veículo militar, sendo então pedido a Ferdinand Porsche que adapte o Volkswagen, por forma a responder aos seus requisitos, passando a fábrica a produzir modelos militares.

    A produção do Carocha, que atingia uma velocidade máxima de 130 km/h, acabou por ser interrompida com o início da Segunda Guerra Mundial, sendo reactivada depois do fim do conflito, com grande sucesso. Até então, tinham sido produzidas 210 unidades, que se destinaram aos altos cargos nazis. O primeiro Volkswagen Carocha foi rebaptizado por Tipo 1, e saiu da fábrica em 15 de Agosto de 1940. Até 1944 só tinham sido fabricados 630 Volkswagen Carocha, pois toda a fábrica tinha sido adaptada para a construção de material de guerra, sendo desta forma um alvo a abater.

    O primeiro modelo militar construído foi um carro para oficiais, com tracção às quatro rodas e um chassis mais elevado, que teve o nome de Kommandeurwagen, e de que foram construídos 667 exemplares.

    O Kommandeurwagen era um modelo com boas qualidades em todo
    o terreno, mas a sua prestação em estrada era má, por falta de tracção.

    O Kubelwagen, o modelo seguinte teve muito mais sucesso, tendo sido produzidos 50.788 exemplares. Foi de facto, o Jeep alemão, nem que seja pelo facto de a carroçaria ser fabricada por uma companhia americana, a Ambi-Budd de Berlim. Devido a ter o motor arrefecido por ar, podia ser usado em qualquer região do mundo, tanto no Árctico como no Norte de África. Seu motor boxer de quatro cilindros contrapostos refrigerados a ar, demonstrou ser altamente confiável, tanto em climas muito quentes como em ambientes de frio extremo. Provou sua valentia no calor dos desertos da África do Norte e no rigoroso Inverno das estepes russas. Outro factor positivo era o seu baixo consumo de combustível, característica importante em termos de autonomia e que também ajudava aliviar a logística de suprimentos do exército que combatia em várias frentes. Também provou ser menos vulnerável às balas inimigas, pela ausência de radiador. Além disso, a carroçaria, por ser independente da estrutura (chassis) do veículo, lhe conferia a possibilidade de poder ser facilmente modificado para propósitos específicos. Em 1944 o motor de 984 cc foi substituído por um motor de 1131 cc - o motor que será usado nos primeiros Carochas produzidos no pós-guerra!

    O facto de ser muito leve, possuir uma caixa de velocidades reduzida e ser equipado com sistema de diferencial auto-blocante compensava a ausência de tração as quatro-rodas. Utilizado tanto pela Wehrmacht como pelas Waffen-SS, o Kubelwagen era para os alemães o mesmo que o Jeep foi para os Aliados. Atingia a velocidade máxima de 80 km/h (8 km/h mais rápido que o Jeep). Era também muito mais barato de se produzir (cerca de metade do custo de seu rival norte-americano). O Jeep americano apesar de mais pesado 300 kg do que o alemão, era mais potente e tinha tração às quatro-rodas.

    Kubelwagen também teve muitas variantes de fábrica. O Tipo 155, por
    exemplo, era uma variante meia-lagarta que nunca entrou em produção.

    Outra versão militar, e a última, produzida durante a Segunda Guerra Mundial, foi o Schwimmwagen. Veículo anfíbio produzido a partir de 1942, com uma carroçaria completamente estanque, o "Schwimmwagen" era um bom veículo de reconhecimento, devido a ser também um veículo todo-o-terreno. O carro foi desenhado pelo filho do Engenheiro Porsche, também chamado Ferdinand, e conhecido por Ferry.

    O Tipo 166, carro-anfíbio equipado com tracção as quatro-rodas, conhecido como
    Schwimmwagen (algo como "Carro Nadador") possui uma carroçaria que lembra
    as formas de uma banheira e foi amplamente produzido, com grande sucesso.

    A Direcção de Material das forças militares das SS - as Waffen-SS, tinha solicitado à empresa de Porsche um projecto para a produção de uma moto com o motor do Kdf-wagen, que tivesse capacidades para todo-o-terreno. O Schwimmwagen, usando o motor de 1131 cc que será utilizado depois no Kubelwagen, foi fabricado até 1944, tendo sido produzidos 14.283 veículos. Quando termina a guerra, os Carochas são enaltecidos pelos aliados, que logo se apercebem das suas verdadeiras potencialidades. É sob o comando do Major Ivan Hirst que os ingleses reactivam a fábrica onde se produziam os Volkswagen, entretanto destruída pelos bombardeamentos. Um dos primeiros carros pós-guerra, é enviado para o quartel general do Exercito Britânico, que imediatamente solicita mais veículos. Só em 1946, é que são produzidos os primeiros carochas para civis, destinando-se essencialmente a serviços de primeira necessidade, tais como Correios e Cruz Vermelha, sendo só mais tarde acessíveis ao público em geral.

    No ano de 1948, a fábrica de Wolfsburg destinada à construção exclusiva do Volkswagen é entregue ao Engenheiro Heinrich Nordhoff. O Carocha transforma-se num caso de sucesso sendo o carro mais conhecido e vendido em todo o mundo. Os Estados Unidos não foram excepção a esse triunfo, e é em 1949, um Carocha é apresentado pela primeira vez numa exposição nesse país.Nessa época, o Carocha passa a ser produzido em duas cores: azul-escuro e cinzento-pérola.

    Em 1949, é apresentado ao público o Volkswagen Cabriolet,
    que em breve se tornou o descapotável mais vendido por todo
    o mundo.

    Em 1953 a janela foi dividida e substituída por um vidro traseiro
    oval. As portas passavam a ter os famosos quebra-ventos. Em
    1955 era utilizado o escape com duas saídas.

    Início da produção do Fusca no Brasil, em 1950. O modelo
    importado era conhecido por "Split Window", com vidro traseiro
    dividido em dois. A motorização utilizada era de 1200 cc e 36 cv.
    Em 1967 o motor passa para 1300 cc e 46 cv.

    Em 1970, é lançado o mais potente Fusca, chamado
    de Fuscão, equipado com um motor de 52 cv e 1500 cc,
    atingindo de velocidade máxima: 130 km/h. Passa a usar
    novos faróis traseiros. Em 1974, o motor passa para 1600
    cc e 65 cv.

    Em 1979, o Fusca passa a ter faróis traseiros maiores e é denominado "Fusca Fafá", em
    homenagem à cantora brasileira Fafá de Belém. Em 1982 é feito alterações no painel.

    Pouca gente já ouviu falar, mas no início da década de 1970, a Volkswagen produziu uma serie de Carochas com caixa automática. Os carros eram destinados ao mercado norte-americano onde as vendas do Beetle se encontravam no auge.

    Produzidos na Alemanha, estes modelos estavam equipados com dois pedais, mas nunca chegaram a ameaçar as vendas do modelo tradicional. No Brasil, onde na época as importações eram restritas, entraram pouquíssimos exemplares.

    Produção em série:

    O dia 6 de Agosto de 1955 foi um marco importante na história do Carocha, já que é produzido um milhão de veículos, sendo o evento sido celebrado por inúmeras pessoas em todo o mundo e assinalado por toda a Imprensa.

    Em 17 de Fevereiro de 1972, são atingidas as 15.007.034 unidades produzidas, batendo o record do Ford T.

    Em 19 de Janeiro de 1978, chega ao fim, passados mais de trinta anos do seu início, a produção do Carocha na Alemanha, sendo produzidas até essa data 16.255.500 unidades na Alemanha e 19.300.000 em todo o mundo. No entanto, a sua produção continuou nas fábricas do México e Brasil, de forma a satisfazer a persistente procura deste veículo.

    O modelo conhecido no Brasil por Fusca, retomou a sua produção graças ao presidente Itamar Franco. A retomada da produção iniciada em 1993 foi até 1996. O Fusca passa a ter para-choques da cor do carro, estofos e volante novo. Foram produzidas mais de 40 mil unidades.

    Em 30 de Julho de 2003, e após 58 anos de produção, sai da linha de montagem de Puebla, no México, o ultimo Volkswagen Carocha, atingindo a produção total mundial de 21.529.464 unidades.

    Curiosidades:

    O Volkswagen de Hitler ficou conhecido em todo o mundo, sendo atribuído várias alcunhas:
    - Em Portugal é conhecido por Carocha;
    - Em França chama-se Coccinelle ou Cox;
    - Nos Estados-Unidos é o famoso Beetle;
    - Na Alemanha é conhecido por Kafer;
    - Na Itália, por Maggiolino;
    - No Reino Unido é o Bug;
    - No Brasil é o célebre e popular Fusca.

    Outras curiosidades:

    - O modelo de 1968, que começou a ser produzido no dia 1 de Agosto de 1967, é o mais procurado nos Estados-Unidos, porque nesse ano, a Volkswagen alterou o sistema eléctrico de 6 para 12 volts. Sem o saber, a firma Wolfsburg criou um clássico na sua categoria.

    - Os clubes VW florescem por todo mundo, conhecendo maior sucesso na Europa, nos Estados-Unidos, no Japão e no Brasil.

    - O mais alto galardão foi-lhe atribuído: pela sua motorização; pela sua concepção simples e original; pela sua beleza e pela sua longevidade. Um júri formado por 100 jornalistas de 37 países elegeu o Volkswagen Carocha como o carro do século XX.

    Carocha no cinema:

    O VW Carocha passa a ter voz na série de filmes realizados entre l969 e 1980, pela Walt Disney, sendo conhecido por Herbie.

    Herbie é um Volkswagen Carocha de 1963, de
    cor branco pérola (código VW L87), dotado de
    vida própria, com uma incrível inteligência, carisma
    e personalidade. Desprezado pelo dono, vai parar
    às mãos de Jim Douglas, um piloto de corridas
    fracassado que graças a Herbie, ganha confiança
    e começa a vencer várias corridas.

    Em 1997, assinala-se um importante passo na história do carocha, com a apresentação do novo Volkswagen Concept 1, o Carocha do futuro. Apresentado no Salão de Genebra, este novo veículo alia o encanto do carocha a um design mais jovem, onde a segurança e a robustez não foram esquecidas.

    Mais tarde, surge a sua comercialização no mercado automóvel, com a designação de Beetle, desta forma é dada a continuidade a essa inigualável carreira que o emblemático Carro do Povo fez por merecer ao longo da sua vida.

    Futuro do Volkswagen Carocha?

    Em 2012, a Volkswagen apresentou durante o Salão de Detroit, o VW E-Bugster Concept, um modelo com propulsão 100% eléctrica. O veículo possui um motor de 116 cv e 27,5 mkgf, abastecido por uma bateria de lítio-íon que pesa 315 kg.

    Para um modelo destes é previsível que a sua autonomia seja algo equivalente a mais ou menos 160 km, onde o que faz diferenciá-lo dos demais existentes no mercado é o seu sistema de recarga rápida, que possibilita o carregamento da bateria em 30 minutos.

    O F125 Concept tem previsão de lançamento para o ano de 2025. O design moderno é realçado pelos para-choques e guarda-lamas em LED de iluminação diurna e rodas aro 20. De acordo com a empresa, não existem planos para a produção do veículo, sendo este apenas um protótipo para mostrar sua capacidade em elaborar modelos eléctricos.













    Última edição por mjtc; 04-03-2018 às 20:54.

  2. #2
    Avatar de mjtc
    Registo
    Feb 2010
    Posts
    9.216

    Padrão Os Melhores Modelos do Carro do Povo!


    Este vídeo mostra interessantes modelos do Carro do Povo, conhecido em Portugal por Carocha, e no
    Brasil por Fusca. Desde modelos excêntricos, limousines, versões esportivas, até carros feitos em gelo
    e madeira.
    Última edição por mjtc; 04-03-2018 às 20:33.

  3. #3
    Avatar de Fonsec@
    Registo
    Sep 2006
    Idade
    52
    Posts
    29.324
    Adoro o carocha mas os modelos antigos, o novo modelo foi uma completa decepção.
    [CENTER][URL=http://img.gforum.tv/ver.php?i=3752ec82609f89ed15f0c374612efe0eee54b706.png][IMG]http://img.gforum.tv/img/3752ec82609f89ed15f0c374612efe0eee54b706.png[/IMG][/URL][/CENTER]

Tópicos Similares

  1. Respostas: 0
    Último Post: 05-03-2013, 21:36
  2. Aveiro : Volkswagen rejeita defeito de airbag
    Por billshcot no fórum Arquivos
    Respostas: 0
    Último Post: 21-02-2013, 21:51
  3. rolamentos volkswagen
    Por batistabomb no fórum Reciclagem
    Respostas: 19
    Último Post: 22-12-2007, 08:52

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  

Conectar

Conectar