A Galp Energia não participou no leilão para o fornecimento de eletricidade promovido pela Deco, defendendo que as condições impostas não permitiam "a elaboração de uma oferta competitiva para as famílias portuguesas". A EDP também terá decidido não participar.

No dia do leilão para o fornecimento de eletricidade a mais de meio milhão de consumidores, a Galp esclareceu que "decidiu não participar" devido às condições impostas pela associação de defesa do consumidor, criticando a obrigação de pagar uma comissão por cada cliente contratado.

"As condições impostas aos operadores para participarem no referido leilão, nomeadamente o pagamento de uma comissão por cada cliente contratado, não permitiam a elaboração de uma oferta competitiva para as famílias Portuguesas e com racionalidade económica", explicou a empresa liderada por Ferreira de Oliveira.

No comunicado, a petrolífera esclarece que "prosseguirá assim a política comercial que tem seguido até agora com sucesso, centrada na disponibilização das ofertas combinadas de gás e eletricidade", que em 12 meses de atividade no mercado livre contam com mais de 125 mil clientes.

A EDP, de acordo com o "Dinheiro Vivo", também decidiu não participar no leilão.

Em fevereiro, aquando do anúncio do leilão, a Deco explicou que poderá vir a cobrar uma comissão por cada contrato assinado junto do fornecedor que ganhar o leilão.


jn