1.jpg

O Ministério Público da Itália pediu, esta segunda-feira, uma pena de prisão de seis anos para Silvio Berlusconi e uma interdição vitalícia de exercício de cargos públicos por parte do ex-primeiro-ministro italiano. Os procuradores do Ministério Público da Itália apresentaram os seus argumentos finais esat segunda-feira no encerramento do julgamento do caso que envolve Silvio Berlusconi, acusado de manter relações sexuais com uma menor e de abuso de poder, num escândalo que abalou a Itália.

O julgamento começou há dois anos e diz respeito aos alegados crimes cometidos em 2010, quando Berlusconi era ainda primeiro-ministro de Itália.

A procuradora do Ministério Público da Itália Ilda Boccassini, citada pela imprensa italiana, pediu uma pena de prisão de seis anos sustentando que "não existem dúvidas" de que a jovem marroquina Karima El Marough, conhecida como Ruby, "manteve relações sexuais com Berlusconi a troco de dinheiro", num momento em que ainda era menor de idade.

A leitura da ata de acusação pela promotora foi transmitida em direto por alguns meios de comunicação locais.

Ilda Boccassini precisou que, para as festas "bunga bunga" que decorriam na luxuosa residência de Berlusconi, nos arredores de Milão, eram convidadas jovens que "faziam parte de um sistema de prostituição criado para a satisfação sexual" do político.


jn