Introdução

Esta secção cobre as principais alterações que podem ser efectuadas no interior do automóvel. Normalmente, o interior dos automóveis é austero, não que isso seja mau, antes pelo contrário, depende muito dos gostos de cada um, mas pode sempre ser melhorado, dando um aspecto mais desportivo ou colorido, sempre de acordo com o resto do tuning realizado no automóvel.. Um projecto tuning completo deve contemplar pelo menos alguns componentes do interior de um automóvel, vamos focar os mais importantes. Nas fotos seguintes, apresentam-se algumas imagens de interiores fora-de-série que obrigaram a um investimento muito grande e a muitas horas de trabalho para se conseguir obter estes resultados excelentes.


Volante

O volante é um dos principais pontos de contacto entre o condutor e o carro. Está mesmo à frente do condutor. A troca do volante pode fazer sentido quando o de origem é feio ou fino e com um aro muito grande. A escolha é muito variada e pode ir desde os volantes réplicas do Ferrari do Schumacher até volantes em carbono ou madeira. Os diâmetros e número de braços também podem ser variados.
Como sempre é necessário não cair em exageros e manter uma imagem coerente com o resto do carro. Pode-se até escolher o volante com cores a condizer com o exterior do carro e com o restante equipamento interior, tais como a manete de velocidades ou o travão de mão. Recentemente os fabricantes de equipamento têm lançado para o mercado novos modelos de volantes fazendo uso de materiais, cores e formas inovadoras. Também têm sido lançados produtos para alterar o aspecto do volante como coberturas específicas em pele ou tinta específica para volante. A grande questão na troca do volante é o facto de ele ter ou não airbag. Hoje em dia, quase todas as viaturas têm airbag de série e privarmo-nos deste equipamento não é boa ideia. Existem contudo marcas que disponibilizam volantes "tuning" com airbag. Estes são obviamente mais caros!
O volante é o que nos permite dar as ordens à direcção e quanto melhor for o feeling que nos proporcionar melhor pode ser a nossa condução. Quanto menor for o diâmetro do volante maior é a força necessária para virar e em casos sem direcção assistida pode tornar-se uma direcção muito pesada. Existem alguns adaptadores no mercado do tipo snap-off que permitem retirar rapidamente o volante e pode ser um dispositivo importante para evitar o roubo da viatura.

Manete das velocidades

Outro dos componentes muitas vezes substituído no interior do automóvel é o punho da manete de velocidades. Se pensarmos no número de vezes que usamos a manete, sem dúvida que poderemos gastar algum tempo debruçando-nos sobre esta alteração. A troca do punho da manete de velocidades não aporta nada em termos de performances, apenas se consegue um melhor tacto no momento de mudar de velocidade e esteticamente pode-se dar mais vida ao interior do automóvel. Existem manetes de diversos tipos, materiais e cor. Os materiais mais usados são o alumínio, o carbono, o couro e a camurça. É necessário ter em atenção que existem carros que obrigam a manetes específicas devido à forma como se engrena a marcha-atrás, tal como o Renault. A troca do punho não é muito difícil de fazer podendo ser feita em casa por qualquer pessoa.
Mas as alterações neste capítulo podem ir mais além. Pode-se também trocar o fole da alavanca das velocidades, por um de couro ou colorido a condizer com o restante equipamento e cor do carro. Existem alguns foles que incluem um rebordo em alumínio que acrescenta aquele toque de classe ao interior do automóvel. Existe também o rebordo isolado do fole à venda separadamente. Alguns fabricantes apresentam gamas de acessórios muito vastas cobrindo os mais diferentes estilos. Existe uma grande variedade de marcas e diferentes produtos nesta área.



Pedais e apoio do pé

Também se costumam alterar os pedais de um carro. O que se ganha com isso? Talvez mais do que o que estão a pensar. A nível estético, sem dúvida, mas também é possível que essa troca permita efectuar mais facilmente algumas técnicas de condução como a "ponta-tacão". Por outro lado com outros pedais pode-se conseguir uma melhor sensação ao usa-los devido à maior superfície. Existem pedais de vários materiais, sendo os mais frequentes, o alumínio e o carbono. Para a maior parte é necessário retirar as capas em borracha dos travões e fazer furos para fixar os novos pedais. No entanto existem também modelos que se fixam aos de origem sem necessidade de efectuar furos. Alguns carros permitem também a colocação de um apoio para o pé esquerdo. Mais uma vez, fica a referência que os pedais não devem destoar do "look" do conjunto e a harmonia deve estar presente. Hoje em dia é possível fazer a troca dos pedais usando outras referências dos próprios fabricantes. Actualmente, algumas séries desportivas de determinado modelo, trazem pedais de alumínio ou com uma aparência mais desportiva. É por exemplo o caso dos pedais do Audi TT que podem ser aplicados em vários modelos do grupo VAG e não só. A Subaru, a Seat, Fiat e muitas outras marcas tem aplicações idênticas.
Punho do travão de mão

O punho do travão de mão também pode ser modificado para fazer conjunto com a manete de velocidades. O resultado é excelente. Existem várias marcas a propor conjuntos para esse efeito. Os materiais, cores e o design são os mais variados. Existem também vários fabricantes a propor foles em couro ou camurça para substituição do original. A sua alteração pode ser mais ou menos complicada dependendo do modelo de automóvel.
Fundo dos Manómetros

Normalmente quando se trocam, usam-se fundos brancos ou coloridos, da mesma cor do carro ou do inteiror. Na competição e em modelos desportivos de eleição, começaram a surgir à alguns anos atrás com fundos dos manómetros electro-luminescentes brancos que proporcionavam uma melhor leitura em quaisquer condições. Quem não se lembra do Ford Escort Cosworth? Com o tempo isso foi-se generalizando para os carros do dia a dia.
Normalmente, estes fundos dos manómetros são autocolantes e são colados sobre os de origem, o que requer alguma precisão e jeito, assim como a capacidade para desmontar o tablier ou as peças necessárias. Também existem fundos de manómetros rígidos. Há empresas e particulares que se dedicam a fabricar fundos de manómetros ao gosto o cliente, com qualquer foto ou design que se pretenda.
Backets e assentos

As backets proporcionam um apoio lateral muito melhor que um banco de série. São ideais para quem pratica uma condução desportiva e não entra em compromissos. Podem ser idênticas às usadas em competição ou podem ser variantes que até têm regulação do encosto e apoio lombar. Existem de vários modelos, cores e marcas. Necessitam de um aplicador específico para o encaixe no carro. Muitas vezes não se pretende ir tão longe, principalmente em carros do dia-a-dia. A troca dos assentos por uns duma série superior ou a estofagem em pele, cumprem perfeitamente os objectivos.

Manómetros auxiliares

Um carro equipado e com alterações diversas ao nível do motor, obriga a um cuidado extra e à monitorização de diversos parâmetros do motor. A instalação de manómetros adicionais resolve esse problema. Nos mais importantes poderemos incluir conta-rotações, pressão do turbo, shift lights, temperatura e pressão do óleo, temperatura da água, temperatura dos gases de escape, e muitos mais. A sua instalação normalmente é feita no tablier com acessórios adicionais. Muito recentemente passou a usar-se o pilar esquerdo para instalar conjuntos de 2 ou 3 manómetros, conseguindo-se uma visibilidade muito boa. Estes manómetros estão disponíveis de várias marcas e com iluminações variadas. Os manómetros poderão ser analogicos ou digitais, havendo realmente muita escolha no mercado. Alguns possuem tecnologia muito avançada e diversas possibilidades de customização de cores como a serie Nexus da Autometer.
Tablier

Poderão pensar que há poucas alterações a efectuar a este nível, mas é possível ser-se original e mudar completamente o tablier por outro de um modelo mais recente. A dificuldade é grande. Primeiro porque é preciso fazer com que o tablier caiba dentro do carro e depois um trabalho bem feito implica que todos os botões sejam funcionais. Exemplos deste tipo de transformações são por exemplo a aplicação do tablier do Clio Williams noutra versão do Clio ou a aplicação do tablier do Golf 3 no Golf 2. Nos casos em que não se vai tão longe é possível pintar a totalidade do tablier ou apenas algumas peças. Existem empresas especialistas em desenvolver tintas específicas para este tipo de aplicação. Um exemplo é a Folia Tec. Existem também kits que se aplicam sobre os componentes do tablier para dar aspecto de carbono, alumínio ou madeira. Também muito original e com uma qualidade muito grande é o trabalho que fazem certas empresas forrando inteiramente o tablier em pele.
Tapetes e alcatifa

O toque final ou talvez não. Alguns preparadores complementam os seus trabalhos com tapetes específicos com os seus logotipos. Outra moda recente é os tapetes em alumínio cortados à medida. A variedade é também grande e a originalidade muitas vezes faz a diferença.