Conheça 6 dos insetos mais sinistros do planeta

Aumente seus conhecimentos sobre alguns dos animais mais letais que existem na Terra.

Por Maria Luciana Rincon Y Tamanini


Fonte da imagem: shutterstock

De vez em quando, aqui no Mega Curioso, trazemos para você, caro leitor, listinhas de animais capazes de assustar até os mais valentões. Assim, depois de alguns bichinhos que parecem inofensivos, mas que podem ser mortais, vespas bizarras e uma série de outras criaturas pra lá de esquisitas, decidimos postar uma matéria sobre alguns dos insetos mais sinistros do planeta.

Confira:

1 – Bicho-barbeiro


Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia
Pertencente à espécie Triatoma infestans, esse temido inseto transmite o protozoário Trypanosoma cruzi, causador da Doença de Chagas, que é crônica e, se não for tratada, pode ser fatal. Os sintomas variam de acordo com o estágio da infecção — agudo ou crônico —, mas costumam progredir de inchaço e vermelhidão no local da picada, febre e mal-estar a insuficiência cardíaca, danos graves ao fígado, baço, intestino, pulmão e cérebro.

As pessoas infectadas podem demorar mais de 20 anos para começar a apresentar os sintomas crônicos e, apesar de o acompanhamento médico prolongar a expectativa de vida, a doença frequentemente é fatal. Embora existam algumas terapias experimentais, os medicamentos utilizados atualmente muitas vezes são ineficientes e provocam inúmeros efeitos colaterais.

2 – Mosca tsé-tsé


Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Conhecida por transmitir a Doença do Sono, a Glossina palpalis — nome científico dessa mosca do mal —, assim como o bicho-barbeiro, também é portadora de um protozoário (o Trypanosoma brucei) responsável por desencadear a enfermidade. Os sintomas da fase inicial incluem febre, dores musculares, perda de peso, anemia e tremores. Mais tarde aparecem os sintomas neurológicos, como convulsões, apatia e sonolência, progredindo para o coma.

Embora exista tratamento para a doença na fase inicial, os infectados — em sua maioria muito pobres e sem qualquer acesso a cuidados médicos — costumam morrer entre 6 meses e 6 anos depois do contágio. Segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde, existem entre 50 e 70 mil pessoas infectadas na África.

3 – Abelha africanizada


Fonte da imagem: Reprodução/CRACKED

Também conhecida como abelha-assassina, a espécie acima é uma criação brasileira, resultado do cruzamento entre abelhas africanas e europeias, diferindo dessas últimas unicamente pelo seu comportamento superagressivo. As abelhas africanizadas “nasceram” na década de 50, depois que uma espécie originária da Tanzânia foi introduzida no país para incrementar a produção de mel.

No entanto, algumas escaparam acidentalmente, cruzando com abelhas domésticas e se espalhando por todo o continente. Esses híbridos assassinos atacam muito rapidamente, em grandes quantidades, e são capazes de perseguir suas vítimas a até 900 metros de suas colmeias, sendo responsáveis pela morte de um número crescente de pessoas todos os anos, principalmente na América do Norte.

4 – Mosquito Anopheles


Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Considerados como os animais mais letais do mundo, os Anopheles são responsáveis por provocar a morte de mais de 1 milhão de pessoas por ano. Esse pequeno mosquito é o famoso causador da malária, e pode ser encontrado nas regiões tropicais e subtropicais de todo o mundo, incluindo o Brasil, obviamente — ou seria melhor dizer: infelizmente!

A malária é transmitida pelas fêmeas do Anopheles, que são portadoras de um protozoário que provoca a doença. Nos estágios iniciais, os sintomas incluem cansaço, febre, dores de cabeça e náusea, mas depois de alguns dias ocorre a destruição em massa das hemácias. Os sintomas mais severos incluem delírios, convulsões, choque circulatório, edema pulmonar, inchaço do baço e do fígado, fraqueza e problemas renais.

5 – Pulga


Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia
Apesar de pequeninas e de algumas vezes infestar os coitados dos nossos bichinhos de estimação, as pulgas também são responsáveis por provocar a peste bubônica, transmitindo a bactéria Yersinia pestis de ratos contaminados aos humanos. O problema é que esses insetos podem espalhar o microrganismo rapidamente, infectando animais e pessoas através de suas picadas.

Caso você não saiba, foi a peste bubônica que provocou a morte de um terço de toda a população europeia durante a Idade Media — a famosa Peste Negra, lembra? —, e até hoje ocorrem surtos em algumas partes isoladas do mundo. Entre os sintomas mais comuns estão a febre alta, dores musculares, convulsões, gangrena periférica, insuficiência respiratória e manchas escuras pela pele, podendo resultar na morte da pessoa infectada.

6 – Gafanhoto


Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Apesar de não provocar a morte de humanos diretamente, esta incrível máquina de devorar plantas pode, indiretamente, causar muitos, muitos problemas, principalmente para as nações mais pobres. Os gafanhotos são responsáveis por devorar milhares de acres de plantações todos os anos, já que um único ataque pode resultar em toda uma área de cultivo completamente destruída.

Se você duvida do poder desses insetos, basta uma breve pesquisa para comprovar alguns ataques devastadores que já ocorreram em várias partes do mundo. Isso sem contar a “menção bíblica” que eles receberam, aparecendo em oitavo lugar entre as dez pragas que assolaram o antigo Egito!


Fonte LISTVERSE CRACKED