265 quilos de carapaus e sardinhas que estavam a ser comercializados ilegalmente foram apreendidos pelos agentes, que identificaram vários suspeitos.
Todas as noites, desde que a vedação da Doca Pesca de Olhão se encontra danificada, dezenas de pessoas juntam-se na zona, a fim de receber e vender pescado de forma ilegal. Este fim de semana, numa operação conjunta dos comandos locais de Olhão e Faro, a Polícia Marítima (PM) apreendeu 265 quilos de pescado (carapau e sardinha) que se destinava a ser comercializado nesse mercado paralelo. Foram identificadas duas embarcações e dois compradores.

Segundo o CM apurou junto do comandante Duarte Conceição, da Capitania do Porto de Olhão, a operação foi desencadeada pelas 03h30 de sábado. Seis agentes da PM, apoiados por uma lancha e uma viatura todo-o-terreno, passaram a pente fino o cais de descarga da Doca Pesca de Olhão, onde diariamente são descarregadas, pelas embarcações que se dedicam à pesca do cerco, várias toneladas de carapaus e sardinhas.

"Há mais de um ano, desde que a vedação da Doca Pesca está danificada, que cerca de 40 indivíduos estranhos, com idades entre os 14 e os 25 anos, se juntam naquele local, que é restrito aos funcionários, para receber e vender pescado de forma ilegal e sem garantias de qualidade, pois chega ao consumidor após várias horas sem qualquer tipo de conservação [gelo] ou controlo", referiu o responsável, acrescentando que "muitos dos suspeitos quando se aperceberam da aproximação da PM, conseguiram fugir".

Os 265 quilos de pescado apreendido foram já vendidos, a favor do Estado.


cm