Portugal e os restantes Estados-membros da União Europeia têm até 2015 para introduzir um novo sistema de classificação das águas balneares costeiras, de rios ou lagos.




Todas as águas balneares devem ser classificadas, pelo menos, como "aceitável" até ao final da época balnear de 2015. Segundo a União Europeia, devem também ser tomadas as medidas adequadas para aumentar o número de águas balneares classificadas como "excelente" ou "boa".

A qualidade das águas é medida em função do número de colónias (UFC) de Enterococos intestinais e de E. coli, bactérias que habitam no intestino. Em Portugal, esta avaliação é da responsabilidade da Agência Portuguesa do Ambiente e tem por base os dados recolhidos na época balnear transata e nas duas ou três épocas anteriores.

Segundo um estudo da Agência Europeia do Ambiente, Portugal destaca-se, este ano, como um dos 10 países da União Europeia com melhores águas balneares: 87% têm qualidade excelente, acima da média europeia (78 por cento). Melhor do que Portugal estão Chipre e Luxemburgo, ambos com qualidade excelente em 100% das águas balneares, Malta (97%), Croácia (95%), Grécia (93%) e Alemanha (88 por cento). Estes resultados são melhores do que os do ano anterior, segundo realça a Agência Europeia do Ambiente. Em 2012, 94% das águas balneares cumpriam os requisitos mínimos, contra uns reduzidos 70% em 1990.

Se vai a banhos para breve, comece a habituar-se aos novos símbolos.













deco.proteste