A Coreia do Sul e Coreia do Norte iniciaram hoje o diálogo para retomarem as reuniões das famílias separadas com a guerra na península coreana e que foram suspensas em 2010 devido à tensão entre os dois países.



A reunião, solicitada por Seul, começou na fronteiriça "Aldeia da Trégua" de Panmunjom, com o objetivo de desbloquear o assunto e realizar um novo encontro entre famílias a 19 de setembro, por ocasião da "festa da colheita" (Chuseok), uma das celebrações mais importantes da península.




"A questão das famílias separadas pela guerra é um dos temas mais urgentes agora. Vou fazer todo o possível para aliviar a sua dor através do diálogo", explicou Lee Duck-hang, líder da equipa de mediação da Coreia do Sul, em declarações à agência Yonhap.
A reunião é descrita pela agência Efe como de vital importância, especialmente para os cerca de 73 mil sul-coreanos que tinham solicitado a retoma desses encontros, sendo que 80 % dos quais tem mais de 70 anos.


dn