1.jpg
Ângelo, líder do grupo que lançou o terror num restaurante em Rio Tinto, estava em liberdade condicional. Regressa à prisão com os dois comparsas
Saiu da cadeia há apenas três meses, mas regressou logo ao crime. Ângelo até era o líder do grupo de assaltantes que lançou o terror no restaurante Madureira’s Grill, em Rio Tinto, na sexta-feira à noite. Foi detido pela Polícia Judiciária do Porto, em conjunto com os dois comparsas, dez minutos depois desse assalto. Presentes anteontem a tribunal, ficaram em prisão preventiva.
Ângelo cumpria pena na cadeia de Paços de Ferreira por assaltos. Estava em liberdade condicional, mas juntou-se a dois colegas, também residentes em Valbom, Gondomar, e fez cinco assaltos desde junho. Atuavam sempre armados e encapuzados e preferiam lojas, farmácias e postos de abastecimento de combustível, quando estivessem no local poucas pessoas.
Já estavam a ser investigados e seguidos pela PJ quando cometeram um novo assalto, desta vez no restaurante Madureira’s. Dispararam um tiro, com a pistola de alarme, contra um funcionário e fugiram com 200 euros que estavam na gaveta da caixa registadora. Seguiram viagem num carro Subaru, furtado, mas foram detidos pouco depois numa operação-relâmpago da Judiciária, depois do alerta da PSP. Durante a detenção, ainda dispararam contra os inspetores, mas não chegaram a atingi-los.
No automóvel, levavam gorros e luvas, bem como a gaveta da registadora do restaurante e ainda a mala de uma cliente, que também roubaram. Os três homens, todos ex-consumidores de droga, foram levados ao juiz. Ângelo vai regressar à cadeia e leva com ele os dois colegas.


cm