João Gil tinha ainda vestígios de sangue da senhoria quando foi preso, quatro dias após o crime, segundo o 'Correio da Manhã'. Idosa levou dezenas de facadas.



João Gil, o informático que a 6 de agosto matou a senhoria à facada, em Lisboa, ainda tinha vestígios de sangue da idosa, de 75 anos, quando foi preso pela Polícia Judiciária, quatro dias após o crime, escreve o 'Correio da Manhã'.




Os indícios foram encontrados nas roupas do euromilionário falido - ganhou 600 mil euros há quatro anos, no Euromilhões, mas gastou tudo. João Gil confessou o crime ao juiz e está já em prisão preventiva.



dn