O Estado tem em vista gastar 79% do dinheiro atribuído no combate aos incêndios e apenas 21% na prevenção. Em causa estão 75 milhões de euros que deverão ser gastos para dominar as chamas, e apenas 20 milhões que serão aplicados para tomar as devidas precauções, avança o jornal Público desta segunda-feira.


A Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) pensa gastar, este ano, 74 milhões de euros no combate aos incêndios, um número bastante superior aos 20 milhões de euros que o Ministério da Agricultura e do Mar deverá aplicar na prevenção estrutural.

Feitas as contas, remediar vai equivaler a uma parcela de 79% do dinheiro destinado a estas catástrofes, enquanto para prevenir só se utilizarão 21%.

Este número é semelhante ao de 2012, sendo que o dispositivo de combate aos incêndios custou, naquele ano, 75 milhões de euros ao Executivo e a prevenção apenas 25 milhões.

Ouvidos pelo jornal Público, especialistas na área explicaram que a aposta na prevenção iria permitir a diminuição da despesa e o aumento da eficácia dos dispositivos.

Fonte: NM